quarta-feira, 31 de março de 2010

Estresse: A fórmula para a gordura feminina

Extraído do livro Body for Life para Mulheres

No meu primeiro livro, Fight fat after Forty, associei o estresse crônico das mulheres, que chamei de estresse tóxico, a uma previsível reação hormonal que pode provocar um aumento de peso em qualquer situação e idade, mas que se manifesta com mais frequência em quem tem mais de 40 anos. Dei a essa reação o nome de "boca insaciável".
Nossas irmãs pré-históricas conheceram um tipo de estresse diferente do que temos hoje em dia - aquele provocado pela tentativa de sobreviver num ambiente hostil com predadores de dentes afiados. Elas vivenciavam a reação de lutar ou fugir, destinada a preparar seu corpo para combater o perigo ou correr dele. No mundo atual, a mulher não se vê diante de tais ameaças à sobrevivência. Porém, tomado por um estresse incessante, nosso corpo apresenta a mesma reação de lutar ou fugir.
As mulheres, no entanto, não lutam nem fogem. Elas comem. Basicamente, a boca insaciável é a versão que a mulher do século XXI dá a reação de lutar ou fugir. E não são apenas as calorias devoradas nesse frenesi alimentar provocado pelo estresse que desencadeiam o aumento de peso. As mulheres são derrotadas por seus próprios hormônios.
Aqui está uma explicação resumida do que acontece na realidade. O estresse crônico estimula a glândula adrenal a produzir uma grande quantidade de cortisol. Esse hormônio do estresse induz o fígado e a corrente sanguinea a liberar seus depósitos de combustível, chamado glicose, para enfrentar a iminente "situação de emergência". Essa situação pode ser, por exemplo, a tentativa de cumprir um sufocante prazo final ou ver o seu filho levar um tombo do skate sem capacete. O cortisol também se encaminha para as células de gordura localizadas dentro do abdomên. Uma vez lá, ele as convence a liberar gordura para abastecer a reação ao estresse.
É assim que você pode estar: completamente estressada, com todo esse açucar e essa gordura flutuando na sua corrente sanguinea. Seu corpo está esperando que você use essa energia. Mas, como ficar sentada mastigando não requer muito esforço (e estou me referindo a esforço físico), seus níveis de cortisol permanecem altos.
Mas esperem. Há mais. Essa prolongada liberação de cortisol desencadeia o fluxo de insulina, hormônio que falicita o armazenamento de gordura, especialmente aquela que se instala ao redor do abdômen. Ela também desperta o desejo por gordura e carboidratos - uma vontade às vezes incontrolável. É por isso que, assim como uma mariposa em relação à luz, você gravita em torno de alimentos gordurosos e calóricos, como biscoito doces e salgados.
É engraçado ver como um filé de atum sobre um leito de folhas verdes não atende as necessidades de uma mulher estressada lá pelas 22hs. Se ela for um pouco parecida comigo, estará mais a fim de um programa a três: ela, uma lata de sorvete e um balde de calda de chocolate.


3 comentários:

Nic disse...

Concordo com essa teoria! Parece que somos imãs de gordura! Aff! Sai pra lá!
Ah! Estou te seguindo também!
Obrigada pelos elogos!!!
Bj!

Laurinha disse...

Falando em estresse, minha orientadora do vigilantes do peso disse que talvez semana passade eu tenha emagrecido pouco porque estou muito estressada. Só que é difícil controlar isso. Mas é isso aí, o negócio é tentar driblar a comida e os aborrecimentos! Ow coisa difícil é emagrecer, né? Mas a gente consegue...

Beijos!

εїз ViViAn ★ Sbrussi /(",)\ disse...

Olá amiga Rosangela!

que alegria te ver em meu blog!
adorei a sua visitinha! volte sempre!
obrigada por me seguir!!!
seu blog é muito lindinho! =D

F E L I Z P Á S C O A!!!

       ( ),,( )
       (=':'=)
  ﻶﻉჱﻶﻉ═¤═(,,)♥(,,)═¤═ﻶﻉჱﻶﻉ

Com carinho, para você e sua família...

εїз ViViAn ★ Sbrussi /(",)\

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...